Tópico: ‘SEO’

CEBDS – Sustentabilidade na Web

março 21st, 2012
hp antiga

a antiga Home Page

O site do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), precisava de uma boa reforma. Os problemas eram vários, a começar pela home page. A imagem ao lado foi capturada dias antes da inauguração do novo layout. Reparem como ela é comprida e assimétrica. A coluna da direita era tomada de anúncios e é um dos bons exemplos de banner blindness que eu conheço.

DCPress foi contratada para analisar e diagnosticar o website antigo, rever as rotinas de trabalho da equipe do departamento de comunicação do CEBDS, e projetar e desenvolver um website www.cebds.org.br novo em folha.

O conteúdo do website antigo foi revisto página a página e sua arquitetura foi reorganizada. O novo layout da home page deverá oferecer um visual contemporâneo sem deixar de focar na boa apresentação das notícias, do material institucional e das publicações do CEBDS.

O código HTML era um emaranhado de tabelas e tags antiquados, característico daquela época em que os conceitos de usabilidade ainda engatinhavam e o CSS Zen Garden ainda era novidade. O sistema administrativo cuidava apenas da publicação das notícias no topo da home page, todo o restante tinha que ser atualizado diretamente no código por um programador. A plataforma ASP.NET em um servidor dedicado cujo contrato serviço de manutenção expirou e um provedor sem suporte técnico completavam o quadro apocalíptico característico daqueles projetos em que é melhor recomeçar do zero do que tentar consertar o que há de errado.

Cristina @fimdejogo Dissat, antiga parceira em inúmeros outros trabalhos bem sucedidos, me chamou para coordenar toda a parte técnica do trabalho e manter consultoria constante para os editores de conteúdo. Foi uma honra e um desafio, ao mesmo tempo. Para começar a produzir um website eu sempre gosto de entender um pouco do assunto. Sustentabilidade não é exatamente um conceito novo para mim, mas o termo desenvolvimento sustentável, dentro do contexto em que as grandes empresas trabalham, é um universo ainda a ser explorado.

rascunhos da home page

rascunhos da home page

Criamos um novo domínio “cebds.dcpress.com.br” para hospedar o novo site enquanto o original continuaria online. O perfil do cliente e as especificações do projeto sugerem a utilização de uma plataforma de programação bastante robusta e ágil, pronta para atender a uma demanda constante de novos serviços e melhorias. A dupla Python/Django se encaixa perfeitamente bem nessa função. O CMS que Andrews Medina e eu desenvolvemos já foi testado em várias aplicações diferentes e se mostrou bastante versátil. O VPS  do Dreamhost, apesar deste provedor  nunca ter sido referência na hospedagem de sites Python/Django, até então estava prestando um serviço satisfatório, quando não excelente.

Instalamos o software básico e uma versão genérica do CMS para que a DCPress pudesse tratar da revisão, rearrumação e transferência do conteúdo do site antigo. Enquanto a equipe de conteúdo trabalhava, eu e minha trupe faríamos um novo projeto gráfico e a programação das templates utilizando o que há de mais novo em HTML, CSS e javascript para tornar as páginas rápidas, atraentes e, acima de tudo, perfeitamente legíveis em qualquer tipo de navegador.

O acúmulo de trabalho em diversos projetos simultâneos e a estranha sensação de estar cansado do meu próprio estilo me levaram a chamar três novos integrantes para a equipe. Decidi não mais fazer sozinho o projeto gráfico, o layout e a programação das templates. O layout, grafismos, estudos de cores e tipologias ficariam a cargo do meu amigo e multi-artista Fabio Darci. Entre outros inúmeros talentos, o carioca Fabio domina como poucos a arte de projetar páginas bonitas e funcionais.

A HP atual

Novas tecnologias estão aparecendo a todo momento para acelerar e incrementar a qualidade do Web Design: CSS frameworksGrids, novas aplicações para o Ajax e também novas e criativas maneiras de utilizar os tags do framework Django que simplificam a comunicação com o banco de dados. Para me ajudar a manter meus sites por dentro das mais recentes inovações, incorporei mais uma fera ao time de desenvolvedores: a matogrossense Mayza de Oliveira passou a cuidar dessa parte espinhosa – de transformar os delírios inventados no Photoshop em um código dentro dos rígidos padrões impostos.

Andrews me apresentou mais um desenvolvedor experiente em Django, o capixaba de criação Francisco Souza, que entrou para a equipe para ajudar na instalação do servidor no Linode e para trabalhar em paralelo com o Andrews na produção e customização dos aplicativos do CMS.

Uma equipe como essa exige a utilização de uma ferramenta de trabalho em grupo, um sistema de controle de versões para evitar a todo custo as temíveis “cabeçadas”, em que dois ou mais integrantes fazem a mesma coisa e um sobrescreve o trabalho do outro, ou o ainda mais terrível “deixa que eu deixo” onde todos pensam que alguém vai resolver o problema e ninguém resolve. Optamos por usar o Bitbucket – um serviço de hospedagem de projetos controlados através do Mercurial,  gratuito para pequenas equipes. Apesar do desconforto inicial de ter que aprender e adotar todo um procedimento (Pull -> Update -> Edit -> Save -> Commit -> Push -> Deploy) e de abandonar o bom e velho FTP para atualizar os arquivos diretamente no servidor do site, a solução do Bitbucket tem se mostrado realmente eficiente.

Nesse meio tempo, tivemos que trocar todos os nossos sites feitos em Python para outro provedor, por conta de vários problemas técnicos que começaram a pipocar e não foram solucionados pelo suporte do Dreamhost. Seguindo a recomendação de gente que entende do assunto, contratei um novo VPS no provedor Linode.com. Como num passe de mágica, todos os bugs esquisitos que geravam erros no servidor sumiram e o CMS voltou a funcionar perfeitamente. Além disso, o acesso aos sites ficou bem mais rápido.

Enfim, o novo site foi lançado na véspera do Carnaval 2012 e a resposta do público foi muito boa. Ainda é cedo para tirarmos conclusões a partir das métricas, mas, nessas primeiras semanas, simplesmente duplicamos a visitação média do site.

 

Tópicos: , , , , , , , , , , , ,
Publicados em Casos, Clientes, Provedores, Web Design, Web Mastering | Comentários (0)

Considerações sobre os Google Cloaking Hacks

outubro 6th, 2010

Diante da disseminação dos pharma hacks – denominação comum para o Google Cloaking Hack – e da mobilização para tentar exterminar a praga, aparecem questões interessantes que eu não tenho competência para responder: quem sai ganhando com a disseminação de um malware? A quem, exatamente, as pessoas que os disseminam querem atingir? Por que os mecanismos de busca não cortam o mal pela raiz, criando algoritmos que ignorem os spams? Quem está satisfeito de ver que milhares de páginas aparecendo deturpadas nos mecanismos de busca? Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , ,
Publicados em black SEO, Casos, SEO, Web Mastering | Comentários (0)

É necessário investir em redes sociais?

março 21st, 2010

Sempre que este tema chega a uma reunião com clientes, enquanto eu discurso sobre as diversas redes sociais e como podemos usá-las em nosso favor, além da necessidade de atualizar o conteúdo do website com frequência, eles me olham com espanto e incredulidade. A dúvida estampada é “mas ter um site não é suficiente? esse negócio de twitter é para garotos! essa coisa de redes sociais é mesmo necessária?? Quem foi que falou em atualizar conteúdo, eu só queria colocar o meu logotipo e o meu telefone, não precisa atualizar nada… ” Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , ,
Publicados em Tecnologia, Web 2.0 | Comentários (2)

Plugins que deixam seu site na moda

julho 26th, 2009

Nos últimos meses, aumentou bastante minha preferência pelo WordPress. Creio eu que os problemas com invasões foram resolvidos.  Dentre as dezenas de soluções de CMS existentes no mercado, o WP está se destacando por causa de sua enorme biblioteca de temas e assessórios. A última versão, a 2.8, colocou a instalação desses temas e acessórios ao alcance de um clique. Agora, mesmo aquelas pessoas que têm arrepios quando ouvem falar em FTP podem alterar o layout e adicionar ferramentas interessantes em seus sites. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , , , , , ,
Publicados em Open Source, Redes Sociais, SEO, Tecnologia, Web Mastering | Comentários (2)

Prudência na hora de analisar métricas

julho 6th, 2009

Quem lida com métricas sabe como é complicado interpretá-las.  Loucos como eu que usam dois ou três sistemas de aferição em um mesmo site ficam expostos ao grande problema de ter que explicar ao cliente por que diabos cada sistema mostra um resultado diferente.  Pior que isso só  quando temos que desfazer a confusão que os clientes criam ao analisar por conta própria um relatório. São inúmeras as formas de extrair conclusões equivocadas de números e termos complicados. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , ,
Publicados em Clientes, SEO, Web Mastering | Comentários (0)

Twittar é preciso?

junho 25th, 2009

É. Necessário e agradável. Ouvi falar do twitter quando houve o terremoto na China, antes das olimpíadas. Disseram que a informação no twitter chegou horas antes do terremoto ser noticiado nos sites e jornais da TV. Achei interessante mas não o suficiente para me engajar. Fiz meu cadastro por obrigação da profissão, dias depois, para aprender a ferramenta, e hoje sigo várias pessoas interessantes e diariamente recebo novos leitores. Gasto feliz da vida alguns minutos por hora visitando e atualizando. Gente que eu nunca vi me segue. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , ,
Publicados em Clientes, Redes Sociais | Comentários (0)

Mapas de Visitantes

abril 13th, 2009

Vejam abaixo a curiosa distribuição de visitantes recentes a diversos sites por mim monitorados. Resultados como o do site da Rosana Lanzelotte, cravista mais reconhecida lá fora do que aqui no Brasil, são bem fáceis de entender. Mas algumas surpresas apareceram em alguns mapas. O site da SBD, curiosamente, não aponta visitantes europeus. Leia Mais »

Tópicos: , , ,
Publicados em Clientes, SEO | Comentários (0)

Integrando Google Calendar e WordPress

março 17th, 2009
próximos eventos do MIG

próximos eventos do MIG

Fiz ontem a transferência do MX do site musicanasigrejas.com.br para o Gmail.  Com isso, o MIG agora passa a poder usar as mil ferramentas do Google Apps, entre elas Google Docs, Google Maps e  Google Calendar. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , ,
Publicados em Clientes, Open Source, Tecnologia, Web Mastering | Comentários (1)

Para o alto e avante!

março 3rd, 2009

Oi Dr.

Em Tue, 03 Mar 2009 09:17:41 -0300, Walter Minicucci <walter.minicucci@gmail.com> escreveu:
> Frick
> A visitaçao vem aumentando, mas o tempo medio de viistação caiu e o
> bounce rate aumentou. O quer dizer aumento de bounce rate, que os carinhas desistem antes de carregar a pagina?

A visitação aumenta na medida em que as técnicas de SEO (tags, matérias bem escritas, RSS, etc) aplicadas em seu site funcionam. Seu site é um belo “case” de sucesso de marketing de busca. Abriremos um champagne quando o site alcançar seu primeiro ponto no Pagerank.
Mas esse público em crescimento é, digamos assim, um público bruto, que chega no seu site através de uma busca qualquer no google. Veja uma lista das “queries” mais utilizadas:
8    4.94%    dieta para diabeticos
6    3.70%    receitas de saladas para almoço de diabéticos
4    2.47%    walter minicucci
4    2.47%    dieta para diabetes
4    2.47%    bombas,insulina,walter,minicucci
3    1.85%    GRUPOS DE ALIMENTOS
3    1.85%    refeições para diabeticos
3    1.85%    dieta hipoglicemia
3    1.85%    adoçantes em diabetes
3    1.85%    gasto calorico1.85%    tabela para medir diabetes
2    1.23%    relogio que mede glicose
2    1.23%    glicose media estimada

Repare que o público está se especializando em fazer consultas ao google e as buscas estão cada vez mais refinadas. Buscas refinadas resultam em pesquisas rápidas, porque o internauta sabe o que quer, chega rapidamente na página cuja informação ele precisa e sai rápido também pq o tempo voa e ele precisa terminar a pesquisa antes da aula.
O Bounce rate, ou a taxa de pessoas que visitam uma única página, aumenta proporcionalmente ao crescimento do seu público vindo de sistemas de busca.
Como fazer para diminuir o bouce rate? “qualificando” melhor o seu público – investindo em marketing direcionado a um público alvo específico. Email marketing para pacientes diabéticos, laboratórios, universidades, amigos, clientes… Marketing social em comunidades virtuais como Orkut e Facebook, anuncios em revistas e outros sites especializados, etc.

> Fiz uma analise atraves de um desse analizadores de  site
> que deu nota 7,2 para o site e deram 8,6 para o site da SBD e entre
> outras coisas disseram que tinha muita foto e isto demorava mais para o site
> carregar. Entao decidi tirar as fotos dos que escreveram colunas a mais
> tempo e diminuir algumas fotos talvez as de receitas o que vc acha?

Sua home page tem muita foto sim. Ela carece do mesmo mal da HP da SBD – está comprida demais porque os editores não retiram chamadas antigas enquanto acrescentam novas em cima. Repare que a informação nas barras laterais (menu do lado esquerdo e enquete à esquerda) terminam e o miolo continua metros abaixo. Sugiro uma urgente e radical limpeza, apagando anuncios e desligando o status de “destaque” para as matérias mais antigas.

> Alem disso vc nao me disse o que acha de um quadrado para irem entrando
> os artigos já postados, a mais tempo ou um rotulo de NOVO em recem postados

Se você seguir a minha sugestão acima, a home page fará exatamente o que você quer: as matérias mais recentes ficam na área de destaques enquanto que os artigos postados há mais tempo vão para a coluna de “noticias” e “favoritas” da coluna direita.

Este email está tão interessante que vai virar um post do MEU site. 😛

[] Frick

walter-minicucci-clinica-de-endocrinologia-e-diabetes

Tópicos: , , , , , , , , ,
Publicados em Redes Sociais, SEO, Web Mastering | Comentários (1)

E não é que ele voltou?

novembro 21st, 2008
Fim de Jogo volta ao Google

Fim de Jogo volta ao Google

Eu já estava dando o caso como perdido. Já havia aconselhado minha amiga a mudar de nome. Mas não é que, depois de 6 meses, o Google resolveu fazer as pazes com o Fim de Jogo.  Digitando-se fim de jogo no campo de busca, o site voltou a ser o primeiro da lista de respostas, coisa que não acontecia desde que sofremos uma série aparentemente interminável de invasões. Meu blog acompanhou todo o percurso desde o primeiro incidente.  O Google nunca deixou de indexar o FDJ, mas não permitia que o site aparecesse em suas respostas. Fomos banidos em junho. Durou até hoje. De lá pra cá foram várias remoções de código intruso, 2 solicitações de reconsideração enviadas e milhares de pesquisas avançadas procurando por “viagra” no cache do google.

Aprendemos bastante com as chibatadas que levamos, mas, apesar do FDJ voltar à sua cotação original, não chegamos à solução do caso. Continuam sem resposta:

Por que o fim de jogo? Por que centenas de milhares de blogs em wordpress também não são vítimas? Ou todos são?

Como é que os invasores entram com tanta facilidade no banco de dados, nos arquivos do site, e até nos anúncios do adsense? Onde estão as frestas por onde eles entram? No provedor? No WordPress? Na minha conta do Dreamhost?

Se o google é tão inteligente para perceber que um determinado site está utilizando técnicas de black SEO (consciente ou inconscientemente, como foi o caso do FDJ enquanto esteve com os códigos intrusos), por que os robôs simplesmente não ignoram o conteúdo do spam?

Tópicos: , , , ,
Publicados em SEO, Web Mastering | Comentários (0)

  • Eduardo Frick

    Atualmente em versão 4.6, Eduardo é Webmaster, webdesigner, web-consultor, web-coordenador de projetos. Tem longa experiência em produção gráfica e é fluente em diversas mídias.

    É carioca da gema, mas mora em Mogi das Cruzes, São Paulo. De seu escritório/estúdio, projeta e cria websites, coordena equipes de desenvolvimento e de conteúdo, recruta e supervisiona o trabalho de analistas, programadores, fotógrafos, ilustradores, animadores, redatores e demais especialistas que garantem serviços de qualidade aos seus clientes espalhados por todo o Brasil.

  • Todos os artigos, por Mês.

  • Temas