Tópico: ‘2009’

Fotos Panorâmicas, ou melhor, Gigapans!

janeiro 18th, 2010

Logo que o Obama (o Barack, não o Bin Laden)  foi eleito, uma nova tecnologia que permite a montagem de inúmeras fotografias em uma só imagem panorâmica, aliada a uma nova rede social – www.gigapan.org – começou a fazer muito sucesso. A foto panorâmica do discurso da posse do presidente já foi vista por 11 milhões de internautas. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , ,
Publicados em Fotografia Imersiva, multimidia, Redes Sociais, Tecnologia, Web 2.0 | Comentários (0)

A raposa está voltando

dezembro 21st, 2009

Pesquisa recente no site da W3Schools mostrou uma estatística interessante e promissora. Deu vontade de comemorar com uma pizza. Os números mostram que 47% dos  internautas que visitam o w3schools  usam Mozilla Firefox. A soma das percentagens dos usuários de IE8, IE7 e IE6 não chega a 37%.

Pena que esses números aparecem apenas nos relatórios de websites destinados a profissionais de web. Em sites comuns, a prevalência do IE é incontestável, passa fácil dos 80%. O IE 6, que desde 1991 inferniza a minha vida e é o que eu considero o pior navegador do mundo, em várias ocasiões aparece nos relatórios do Analytics como o segundo mais utilizado, atrás apenas do IE8. Mesmo no relatório do W3Schools o IE6 ainda é usado por 10% dos usuários. Essa inércia em atualizar o software, acredito eu, é culpa da pirataria desenfreada que inundou os computadores de cópias ilegais do Windows XP e dos altíssimos custos dos softwares originais.

Esta supremacia do Internet Explorer foi conquistada com política e marketing, e não por mérito. A falta de competência e/ou de interesse dos programadores da Microsoft em seguir os webstandards é notória. A versão 6 do navegador, incluída no Windows XP, é tão divergente dos padrões do W3C, que obriga o bom webdesigner a estudar os “CSS Hacks” para poder criar uma série de estilos aplicáveis unicamente ao IE6 e assim fugir das idiossincrasias do software sem comprometer a performance das páginas em outros navegadores.

A cada nova versão do IE recebemos notícias de que ele está mais próximo dos webstandards. De fato, muita coisa melhorou no IE7 e depois no IE8. Mesmo assim, não é difícil arrancar um bug ou desenhar um layout que funciona em todos os navegadores (Chrome, Safari, Opera, Firefox, Iphone…) mas encrenca no navegador de Bill Gates.

Mas a tendência refletida nos números do site W3Schools é de que o Mozilla retorne ao pódio, de onde nunca deveria ter saído, mas que infelizmente aconteceu quando a Microsoft resolveu nos empurrar o Internet Explorer goela abaixo. Os outros navegadores estão também ganhando mais adeptos, dia a dia.

Eu, aqui, só abro o IErgh para testar os meus sites.  Uso o IE tester para avaliar o funcionamento em diversas versões ao mesmo tempo, e as ferramentas para webmasters fornecida no IE8, que frequentemente explode na nossa cara e fecha o programa. É a Microsoft mantendo o seu padrão de qualidade habitual.

Tópicos: , , , , , ,
Publicados em Open Source, Tecnologia, Web Design | Comentários (0)

Video conferência pela internet. Funciona?

outubro 29th, 2009

O sucesso das reuniões que utilizam a internet como canal de comunicação (webinar, webmeeting, videoconferência ou videochat – o nome técnico muda mas a essência é a mesma) invariavelmente depende 1) da qualidade das conexões de internet de seus participantes. 2) de um mínimo de tecnologia.

Aqui no Brasil, são raros os serviços de banda larga que cumprem o que prometem, e as redes corporativas ou prediais costumam ratear uma conexão de banda larga entre inúmeros computadores. Já vi casos em que o desempenho de uma “banda larga” era inferior à uma conexão por  linha discada.

Ainda não é costume brasileiro usar webcams e headsets para conversar no computador. Poucos têm o equipamento completo, configurado e funcionando. O skype muitas vezes enguiça por causa de microfonias geradas por volume muito alto ou microfones colocados próximos às saídas de som. Na hora da reunião é sempre aquela correria: pega o fone de ouvido lá no quarto! cadê a webcam? como assim emprestou pro vizinho???  ih o microfone deu mau contato!

Um teste que deve ser feito por todos os participantes, antes das reuniões, está em http://www.speedtest.net/ . Uma sala de videochat com 3 vídeos simultâneos e um canal de áudio demanda uma boa taxa de transmissão de dados:
Taxas de download abaixo de 500Kb/s, ou 0,5Mb/s podem não ser suficientes, principalmente se a conexão estiver instável.
Taxas de upload acima de 200Kb/s ou 0,2Mb/s são recomendadas.

Para vocês terem uma idéia, meu teste atual no Speedtest.net deu 4.66 Mb/s de download e 0.58Mb/s de upload. Meu contrato é de 6Mb de download e 1Mb/s de upload.

Outras soluções que realmente funcionam utilizam hardware proprietário (micros especiais, modems, telões, etc), várias linhas ISDN ligadas em paralelo para a transmissão… e custam uma fortuna.

O Skype e outros programas gratuitos, como o MSN e o Gtalk, só permitem a conexão com video E áudio apenas entre 2 pessoas, e olhe lá. Mesmo para reuniões sem o uso de webcams, o áudio do skype nem sempre funciona.

O camfrog é diferente porque o cliente paga para hospedar uma “sala virtual” em um servidor otimizado para este tipo de aplicação. O custo mínimo desta hospedagem é R$35 mensais ou R$252 anuais para até 400 participantes simultâneos (http://www.frogfriendshosting.com).

Há um programa gratuito em que os participantes conversam por áudio e texto, e cada um vê até 3 vídeos simultâneos de outros participantes. A versão paga (R$80 cada licença) do mesmo programa permite até 100 vídeos simultâneos, entre outras vantagens. http://www.frogfriendsbrasil.com/?op=pro A SBEM Nacional comprou 7 e levou 10 licenças depois que eu chorei um desconto.

A SBEM está satisfeita com o camfrog. A dinâmica das reuniões, por causa das limitações do ambiente e das ferramentas disponíveis no software, é diferente de uma reunião tradicional. Alguns dos convidados não conseguem falar ou ouvir por não estarem com equipamento ajustado ou por intermitências na conexão com a internet.

Existem outras alternativas, como a versão gratuita do Dimdim – http://webmeeting.dimdim.com/ que têm ferramentas específicas para apresentações e demonstrações e agregam até 20 usuários em cada reunião online. Já usei o dimdim em muitas reuniões.

O twitcam também é uma ferramenta gratuita e genial para broadcast. Qualquer pessoa com uma taxa de upload maior que 16Kbps, um microfone e uma webcam agora pode fazer o seu próprio telejornal ao vivo. O twitter serve como canal de comunicação entre quem está transmitindo o vídeo e os telespectadores que querem participar com perguntas e observações.

Tópicos: , , , , , , , , , , ,
Publicados em Clientes, multimidia, Tecnologia | Comentários (1)

Eu quero um site (parte 3)

outubro 22nd, 2009

Em Thu, 22 Oct 2009 11:58:28 -0200, Fulana escreveu:

Obrigada Eduardo pela sua rápida resposta. Só mais uma última pergunta que esqueci: as atualizações. Eu gostaria de fazê-las eu mesma mas caso a opção fosse para que você as faça esporadicamente, quanto seria o custo? Você cobraria algum fee mensal? Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , ,
Publicados em Clientes, Redes Sociais, Tecnologia, Web Mastering | Comentários (0)

Eu quero um site (parte 2)

outubro 22nd, 2009

Olá, fulana

Será um prazer ajudá-la a montar o seu website.

Meus sites têm, de fato, propostas e layouts bem diferentes um do outro, essa é uma das vantagens da minha profissão: a diversidade – aparecem clientes com fábricas artesanais de chocolate (do Helio – www.chocomundo.com.br), acompanhamento de jogos no maracanã (fimdejogo.com.br), designers de jóias (www.brunoguidi.com.br), sociedades médicas (www.endocrino.org.br) e assim por diante. Cada projeto me ensina muito. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , ,
Publicados em Clientes, Tecnologia, Web Design | Comentários (0)

Eu quero um site, você faz para mim?

agosto 28th, 2009

Sim,… quer dizer, não… ahn… sim e não. Eu faço o site, mas não sou eu quem faço TODO o site. Para que vocês entendam como eu trabalho:

Um website nada mais é que um conjunto de páginas com textos, fotos, desenhos, mapas, vídeos e áudios e alguns formulários para o leitor preencher. Portanto, a equipe envolvida tem que dividir as tarefas e criar, publicar e atualizar todo esse material. Uma equipe básica se compõe de: Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , ,
Publicados em Clientes, Web Mastering | Comentários (5)

Com que roupa eu vou?

agosto 11th, 2009
terno com shortinho? cruzes!

terno com shortinho? cruzes!

Copiei o título do famoso samba porque é a música que sempre me vem à cabeça quando os clientes me perguntam “que sistema vamos usar no nosso uebesaite?”. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , ,
Publicados em Tecnologia | Comentários (1)

Plugins que deixam seu site na moda

julho 26th, 2009

Nos últimos meses, aumentou bastante minha preferência pelo WordPress. Creio eu que os problemas com invasões foram resolvidos.  Dentre as dezenas de soluções de CMS existentes no mercado, o WP está se destacando por causa de sua enorme biblioteca de temas e assessórios. A última versão, a 2.8, colocou a instalação desses temas e acessórios ao alcance de um clique. Agora, mesmo aquelas pessoas que têm arrepios quando ouvem falar em FTP podem alterar o layout e adicionar ferramentas interessantes em seus sites. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , , , , , , , ,
Publicados em Open Source, Redes Sociais, SEO, Tecnologia, Web Mastering | Comentários (2)

Prudência na hora de analisar métricas

julho 6th, 2009

Quem lida com métricas sabe como é complicado interpretá-las.  Loucos como eu que usam dois ou três sistemas de aferição em um mesmo site ficam expostos ao grande problema de ter que explicar ao cliente por que diabos cada sistema mostra um resultado diferente.  Pior que isso só  quando temos que desfazer a confusão que os clientes criam ao analisar por conta própria um relatório. São inúmeras as formas de extrair conclusões equivocadas de números e termos complicados. Leia Mais »

Tópicos: , , , , , ,
Publicados em Clientes, SEO, Web Mastering | Comentários (0)

WordPress 2.8 – A Cilada

junho 29th, 2009

Caí na asneira de fazer o upgrade automático do WordPress 2.8. Macaco velho que sou, deveria ter esperado. Quantos upgrades que estragam mais do que melhoram eu já fiz? Só no Corel Draw, foram tantos que perdi a conta: o Corel 3 era mais estável que o 4, o 5 e o 6 juntos.

Ao fazer o upgrade para o 2.8, deixei de enxergar as letras no editor de posts. Todos os botões de edição, negrito, italico, etc também foram abduzidos. Estou escrevendo esse post usando a aba do HTML. E algo me diz que isso é apenas a ponta do iceberg. Fazer um downgrade é impensável pois o upgrade alterou as tabelas e o tolinho aqui jogou fora o backup. (Mais uma lição, NUNCA despreze um backup). Leia Mais »

Tópicos: , , , ,
Publicados em Casos, Tecnologia | Comentários (1)

  • Eduardo Frick

    Atualmente em versão 4.6, Eduardo é Webmaster, webdesigner, web-consultor, web-coordenador de projetos. Tem longa experiência em produção gráfica e é fluente em diversas mídias.

    É carioca da gema, mas mora em Mogi das Cruzes, São Paulo. De seu escritório/estúdio, projeta e cria websites, coordena equipes de desenvolvimento e de conteúdo, recruta e supervisiona o trabalho de analistas, programadores, fotógrafos, ilustradores, animadores, redatores e demais especialistas que garantem serviços de qualidade aos seus clientes espalhados por todo o Brasil.

  • Todos os artigos, por Mês.

  • Temas